domingo, 19 de novembro de 2017

Bahia Campeão Brasileiro 1959

A Taça Brasil foi a primeira competição nacional de clubes de futebol do Brasil a dar ao seu vencedor o título de campeão brasileiro. Apesar do certame ter sido instituído em 1954 pela CBD (Confederação Brasileira de Desportos, atual CBF) e ter seu regulamento definido em 1955, a primeira edição da competição não pôde ser disputada como o planejado, pois o calendário do futebol brasileiro até 1958 já estava aprovado e não podia sofrer alterações por causa da Copa do Mundo de 1958. Sendo assim, ficou definido que a Taça Brasil começaria somente em 1959. Porém, como ainda haviam restrições econômicas e dificuldades para viagens longas, a competição foi montada apenas com os campeões estaduais que se enfrentavam em um grande sistema mata-mata.

-------------------------------------------------

O Brasileirão de 1959 contou com a participação de 16 campeões estaduais do ano anterior. Com os clubes divididos regionalmente, paulistas e cariocas entraram apenas nas semifinais.
O Bahia pertenceu ao Grupo Nordeste, e começou a competição contra o CSA. Um triunfo em Maceió por 5 a 0, e outro em Salvador por 2 a 0 classificou o Tricolor de Aço. Na fase seguinte, enfrentou o Ceará, com empates em Fortaleza e na Bahia. Um jogo-desempate foi necessário, e finalmente o Bahia ganhou, por 2 a 1 na Fonte Nova. Campeão do grupo, encarou nas quartas de final o campeão do Grupo Norte, o Sport, triunfando por 3 a 2 em Salvador. Mas em Recife, perdeu por 6 a 0. Como não havia a regra do saldo de gols, mais um desempate foi forçado. E o Bahia não deu outra chance ao azar, ganhando por 3 a 2. Campeão da Zona Norte, foi à semifinal contra o Vasco. No Maracanã, o Tricolor triunfou por 1 a 0, mas na Fonte Nova sofreu 2 a 1. Em mais um jogo extra, fez 1 a 0 em Salvador, e avançou para a final, contra o Santos.
Àquela altura, o Santos já era tido como o melhor time do Brasil, com Pelé sendo o principal jogador. Mas o Bahia tinha Alencar e Biriba, autores dos gols do triunfo por 3 a 2 no Pacaembu. Na partida na Fonte Nova, o Santos devolveu 2 a 0. Outro desempate foi preciso e, já invadindo 1960, o Bahia ganhou no Rio de Janeiro por 3 a 1, se tornando assim, o primeiro campeão brasileiro e o primeiro time do Brasil a disputar uma Libertadores.


Foto Arquivo/Placar

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Corinthians Campeão Brasileiro 2017

A primeira força do Brasil. Mais uma vez, o Corinthians levanta a taça do Brasileirão. No feriado de Proclamação da República, o Alvinegro conquistou o sétimo Campeonato Brasileiro de sua história, com três rodadas de antecedência. Com a conquista, o Timão se isolou como o maior campeão na era dos pontos corridos, com quatro taças (2005, 2011, 2015 e 2017). A campanha do Timão foi ótima desde o começo. Líder a partir da quinta rodada, passou 20 rodadas sem perder, com 17 vitórias e três empates. No começo do segundo turno, a conquista chegou a ficar em dúvida. Depois de uma sequência de resultados ruins, o Corinthians viu o Palmeiras encurtar a distância para apenas cinco pontos. Mas no clássico, o Alvinegro se impôs, venceu por 3x2 e deu um passo fundamental rumo ao título, sacramentado na partida contra o Fluminense, na Arena Corinthians, pelo placar de 3x1.


Foto Heitor Feitosa/Placar/Divulgação

sábado, 4 de novembro de 2017

Grêmio Campeão da Copa do Brasil 2016

O Rei de Copas. Esta é a alcunha que o Grêmio conquistou ao levantar a taça do penta da Copa do Brasil, em 2016., e após aguentar um jejum de 15 anos sem taças importantes.
O Grêmio começou a disputa na competição diretamente nas oitavas de final, por ter participado da Libertadores ao mesmo tempo. O primeiro adversário foi o Atlético-PR. Começou vencendo por 1 a 0 em Curitiba, mas perdeu pelo mesmo placar em Porto Alegre. Nos pênaltis, o time gaúcho errou menos (foram 16 cobranças) e venceu por 4 a 3. Nas quartas de final, foi a vez de enfrentar o Palmeiras. Venceu a partida de ida na Arena por 2 a 1 e segurou empate em 1 a 1 em São Paulo. Na semifinal, jogou contra outro especialista em Copas, o Cruzeiro. Após vencer por 2 a 0 em Minas Gerais, manteve o empate sem gols no Rio Grande do Sul.
A final foi contra o outro grande mineiro, o Atlético-MG. Na volta para o Mineirão, uma atuação inesquecível de Pedro Rocha, que fez dois gols e foi expulso. Everton completou a vitória por 3 a 1. Mas, entre a ida e a volta, uma tragédia abateu o futebol brasileiro. A queda do avião da Chapecoense, que vitimou 71 pessoas, adiou em uma semana a disputa da partida na Arena do Grêmio. Em meio a homenagens ao time catarinense, o Tricolor gaúcho voltou a empatar, em 1 a 1 - gol marcado por Miller Bolaños. Assim, Grêmio chegou ao seu quinto título da Copa do Brasil.


Foto Jeferson Guareze/AGIF

Palmeiras Campeão da Copa do Brasil 2015

Em uma inédita final decidida nos pênaltis, o Palmeiras conquistou o tricampeonato da Copa do Brasil, em 2015. Nas 13 partidas que disputou, o Verdão fez oito vitórias, três empates e duas derrotas.
O Alviverde começou a competição contra o Vitória da Conquista da Bahia. A vitória por 4 a 1 fora de casa evitou a partida de volta. Na fase seguinte, o adversário foi o Sampaio Corrêa. No Maranhão houve empate, mas em São Paulo o Palmeiras aplica 5 a 1 e avança. Na terceira fase, contra o ASA de Alagoas, o empate em 0 a 0 em casa foi um susto. Com vitória fora de casa pelo placar mínimo, o clube paulista se classifica. Nas oitavas de final, duas vitória sobre o Cruzeiro. Nas quartas, o encontro com o Internacional. Após empate em Porto Alegre, a vitória apertada por 3 a 2 colocou o Verdão na semifinal. A primeira derrota do Palmeiras foi no Maracanã, contra o Fluminense. O resultado de 2 a 1 foi devolvido em São Paulo, e nos pênaltis o time alviverde se classifica para a final, diante do Santos.
A ida foi na Vila Belmiro, mas acabou com derrota por 1 a 0. Com quase 40 mil pessoas no Allianz Parque, o Alviverde conseguiu a vitória por 2 a 1, com gols de Dudu, e a decisão foi para os pênaltis – a primeira em finais. Tendo Fernando Prass e Dudu como destaques, o Palmeiras chegou ao tricampeonato do torneio ao vencer por 4 a 3, com direito a uma defesa e o gol derradeiro do goleiro.


Foto Rafael Ribeiro/CBF

Atlético-MG Campeão da Copa do Brasil 2014

Com históricas viradas de confrontos, o Atlético Mineiro se tornou campeão pela primeira vez da Copa do Brasil, na edição de 2014.
Por ter participado da Libertadores da América no primeiro semestre daquele ano, o Atlético entrou na Copa do Brasil já na fase das oitavas de final, quando eliminou o Palmeiras com duas vitórias: 1 a 0 e 2 a 0. Nas quartas de final, o adversário foi o Corinthians. Depois de perder na ida por 2 a 0 e sair atrás no jogo de volta, no Mineirão, o Atlético conseguiu uma grande virada ao vencer por 4 a 1. Na semifinal, o time do técnico Levir Culpi repetiu o feito. Perdeu para o Flamengo na primeira partida por 2 a 0, saiu atrás na volta, no Mineirão, e novamente goleou por 4 a 1.
A final reservou o grande clássico mineiro contra o Cruzeiro. E quem diria, foi menos complicado que os jogos anteriores. No primeiro jogo, no Independência, vitória alvinegra por 2 a 0. Com esta vantagem, o Galo voltou como visitante ao Mineirão. Apesar de o Cruzeiro ter a maior necessidade de marcar gols, quem dominou foi o Atlético, que nos acréscimos do primeiro tempo marcou o gol do título, com Diego Tardelli, que recebeu cruzamento de Dátolo e marcou o seu único gol na competição: 1 a 0 e Galo campeão. Na campanha de oito jogos, foram seis vitórias, duas derrotas, 14 gols marcados e seis sofridos.


Foto Juliana Flister/DomTotal

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Flamengo Campeão da Copa do Brasil 2013

O Flamengo conquistou sua terceira Copa do Brasil em 2013. O título chegou para mudar o ambiente de crise. O interino Jaime de Almeida assumira a equipe no lugar de Mano Menezes. O Fla venceu 11 das 14 partidas que disputou.
A campanha começou contra o Remo na primeira fase. Com duas vitórias, o Rubro-Negro avançou. Na segunda fase foi a vez de enfrentar o Campinense da Paraíba. Mas duas vitórias e a classificação para a terceira fase. A sequência continuou sensacional, e mais dois triunfos contra o ASA de Alagoas deram a vaga para as oitavas de final. Contra o Cruzeiro, a única derrota foi na ida em Minas Gerais, por 2 a 1. Na volta, 1 a 0 bastou para a classificação flamenguista. Nas quartas de final, contra o Botafogo, empate no primeiro jogo e goleada por 4 a 0 no segundo. Na semifinal, duas vitórias por 2 a 1 sobre o Goiás colocaram o Mengão na final.
Contra o Atlético-PR, o Flamengo saiu perdendo, mas empatou em 1 a 1 na ida, na Vila Capanema. Na volta, no Maracanã, demorou para o gol sair. Elias e Hernane Brocador marcaram o 2 a 0 depois dos 43 minutos da etapa final. Importante na campanha do tri, o Maracanã havia sido liberado após a disputa da Copa das Confederações. E o reencontro da torcida com a casa foi a química perfeita para o Flamengo. Foram quatro jogos no estádio, com média de público acima de 50 mil torcedores.


Foto Alexandre Loureiro/Placar